Sexta-feira, 1 de Agosto de 2014

Recuso-me aceitar

 

 

 





Mente cansada


Pelas encruzilhadas da vida
friamente recorda-se o passado
tentar desvendar o que foi dito,
o que foi feito

com desfecho de nada ter conseguido
Por todo o lado se passou,
com alegria vontade de conseguir

O presente está á frente
como derrotador de todo o sonho sonhado

de toda a vontade vencida
de toda a alegria resfriada
mera ilusão,
Esta é que é a realidade
Sonhar querendo realizar,
Mergulha-se nos sonhos
com o lema de viver ou tentar esquecer
confiar no coração
 é como renegar o suposto regressar da razão
menta cansada, não quer nem pensar
Deixa-se acreditar
o que é obvio não poder aceitar
repetidamente a acumulação do pesar se sente
lagrimas já não aliviam a alma
Arrependimento mata
o que resta entre a dor e o sofrimento
é o tempo que não para
Que há para lá do sonhar,
Apenas metáforas de um querer sem obter
de um fingidor querendo ser
uma luz vaga passa pelo quadro da realidade
um nu, apenas um nu está á vista
palavras ocas, sem coerência
tudo morre, mesmo a exaltação
onde sempre acabou cada ilusão
de uma vida sonhada dormitando
apesar das ruinas, resta a força de continuar a viver
melhorando a forma de ser…




Alzira Macedo



http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2

publicado por Alzira Macedo às 22:24
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 3 de Dezembro de 2011

Senti vossa falta

Quantas vezes, escrevi no... 
Passado, no Presente e até vivendo o Futuro
quantas vezes prometi vir para ficar e nada disso aconteceu…
Temos sempre tantos projectos em mente 
Que nos descuidamos dos que anteriormente nos deram tantas alegrias…
Serão fatalidades ou futilidades?
Quero pensar que seja fatalidade
até porque não me sinto bem com o nome de futilidade…
Quantas vezes me lembrei de cá vir e sempre dizia, amanha
até que esse, amanha chegou e cá estou…
Reconheço desperdiçar momentos de vida, 
Momentos de amizade dando lugar a outra prioridade
um belo dia acordamos e sentimos que algo nos reclama
que algo está a ser esquecido
que algo nos falta
então rebobinamos o nosso passado e dizemos…
Tenho de voltar onde sempre fui feliz….
Voltei ás minhas raízes
que é escrever, dizer bem alto o que me vai na mente
ser eu própria com defeitos e virtudes
com lagrimas e sorrisos
até porque estiveram sempre em minha companhia 
e eu de nada sabia
por não entrar na casa certa
a minha a vossa
e acima de tudo a nossa
este cantinho maravilhoso,da partilha da voz da alma
vim para ficar e poder novamente convosco minhas mais intimas ideias partilhar….

 



 

 

 

 

 

http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2

publicado por Alzira Macedo às 02:39
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Terça-feira, 8 de Junho de 2010

A vontade em ser eu...

 

 

 

Recordo todo o meu passado…


Hoje…
Sou o que nunca imaginei ser
No meu futuro…
 Irei de mim rir…
Hoje…
 que a noite é somente minha
que a chuva cai sem me molhar
que minhas lágrimas lavam meu rosto
até deixo que isso aconteça
Necessito desta paz
desta solidão
deste desaguar de recordações
quero sentir o que sou sem me esconder
sem ter de negar minha tristeza
a noite é minha
os sentimentos também
saborear a pura certeza de que sou eu e mais ninguém
Enquanto tudo dorme
Eu vivo
eu penso
eu sinto
eu escrevo
revejo todo o meu passado
incognitamente
desfolhei-me
pouco a pouco renasce um novo eu
com duvidas e incertezas quero crescer
quero desenvolver o meu próprio ser
como pagina já nascida, mas nunca vivida
do tempo que me deram
e que nunca desfrutei
chamo a atenção sobre mim
que nunca conheci
salvo uma vontade
de ser eu
sem principio nem fim
segui em dois caminhos par a par
ser o que quiseram que eu fosse
sem nunca sequer me encontrar
chegada á meia meta
sem mesmo me conhecer e
com a certeza de te pertencer
serei eu de certeza
ou apenas um irreal meu
que apenas vivi para o teu mundo
 e nunca o meu
continuo sem me encontrar
agarrada a ti em meu pensar
Alzira Macedo




http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2
sinto-me: A descobrir-me
música: si fuel el amor

publicado por Alzira Macedo às 00:21
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Quarta-feira, 6 de Janeiro de 2010

Sei que...

 

 

 

 

Grande descoberta…

Quantas noites nasci
quantas noites, vivi
quantas noites morri…

Nasci, por amar a vida,
pela sua beleza pela sua luta
pela sua conquista.

Vivi, pelo prazer de a viver
de a saborear
de a partilhar
De a desfrutar

morri, pela dor
de não ser compreendida
não ser correspondida
não ter com quem a partilhe

No meio de cada vivencia aprendi…
Nascer em cada manha, em cada ser, em cada dificuldade

viver cada momento, o mais alegre ao mais triste
saborear o que nos dão, não desvalorizar, não julgar
apenas aceitar…

Morrer, quando tudo está realizado
quando tudo está vivido
quando tudo está finalizado

Então paro em meu pensamento e digo…

Tenho tanto para nascer
outro tanto para viver
E outro tanto para morrer

Sou feliz na minha descoberta
irei nascer, viver e morrer
sempre…

 

 

 

 

Alzira Macedo

 

 

 

http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2
sinto-me: feliz pela descoberta
música: "Dance me" Cohen

publicado por Alzira Macedo às 12:51
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quarta-feira, 16 de Dezembro de 2009

Sinto e quero sentir...



 

Sinto e quero sentir…

 

Cada vez mais eu sinto esta pressão…
despejar de alma e coração
Não sou madre Teresa de Calcutá
nem de lá se pareça…
Nunca conseguirei atingir tanta bondade,
tanto amor, tanta caridade
Mas penso, sinto, sofro
pela vida infernal que alguns humanos teimam em viver
sem a nada nem ninguém respeitar e entender
Minha revolta dá lugar á dor…
Mas também á luta á conquista…
Quanto mais me ferem, mais eu teimo em semear a esperança
A bondade, a amizade
Porque acredito que existe o bem…
escondido mas ele existe
disso tenho certeza
tu que me lês sabes disso
tu que partilhas a mesma opinião concordas
Somos poucos talvez…
Mas esperançados no amanha…
porque hoje já fizemos o que tinha-os a fazer…
Divulgar, amar sem preconceitos e medidas
Não nos entendem!!!
Não nos querem perceber…
Não tem mal iremos continuar
Porque o amor é sólido é valido
dá-nos as forças suficientes de continuar
seja esta sempre a nossa vontade…
Nasceu em mim esta vocação
de levar a alegria ao vosso coração
Mesmo sendo um caminho árduo
vale a pena!!!

 

 

Alzira Macedo

http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2
sinto-me: com vontade de abraçar o mundo
música: sweet Dreams

publicado por Alzira Macedo às 22:05
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quarta-feira, 8 de Abril de 2009

Não esquecer a pontuação

 



 

Um homem rico estava muito mal, agonizando. Pediu papel e caneta. Escreveu assim:

'Deixo meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres.

 Morreu antes de fazer a pontuação.

A quem deixava a fortuna?

 Eram quatro concorrentes.

 

1) O sobrinho fez a seguinte pontuação:

Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

 

2) A irmã chegou em seguida. Pontuou assim o escrito:

Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

 

3) O padeiro pediu cópia do original. Puxou a brasa pra sardinha dele:

Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

 

4) Aí, chegaram os descamisados da cidade. Um deles, sabido, fez esta

interpretação:

Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres.

 

Moral da história:

'A vida pode ser interpretada e vivida de diversas maneiras.

Nós é que fazemos sua pontuação. E isso faz toda a diferença...

 

Email recebido do amigo
Pinho Suiça

http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2
sinto-me: com vontade de pontuar
música: la vida louca

publicado por Alzira Macedo às 15:34
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Sexta-feira, 16 de Maio de 2008

Como enfrentar a vida....

 

 

 

Uma história que não é historia….

Tento procurar as palavras certas mas não encontro, será destino, má sorte ou contingências da vida…

Conheço alguém que é uma lutadora por natureza, sobreviveu ao, tão temerosos cancro do colo…
Depois de uma luta árdua, de ter entrado em coma, sido operada 13 vezes, casa de repouso consultas de psiquiatria, e ter feito um pacto com Deus, como ela assim o diz…
Pediu para a deixar sobreviver ao cancro para poder deixar criar seus filhos….
E assim que eles estivessem orientados na vida então sim podia a levar porque estaria preparada…
dedicou-se á área da saúde tentando ajudar quem nada nem ninguém tem, dando sempre o seu carinho a sua força…
E acontece que após um acidente de trabalho, para ajudar quem necessitava lesionou-se, com uma rotura muscular e uma contracção muscular…
a recuperação não foi fácil, ficou mês e meio sem conseguir caminhar normalmente, e depois com muito custo e garra foi andando tentando melhorar….
Acontece que o sorriso estava sempre presente, embora os mais chegados notassem que havia muita revolta e agressividade, mas desculpava-se sempre com o trabalho e a depressão de ter parado durante 3 meses o seu trabalho, que era o que a fazia viver e se sentir útil….
Amar o próximo e dar o que nunca tinha recebido, amizade, carinho e compreensão…
a gota de agua chega quando depois de vários exames langorosos, dolorosos e por vezes enervantes de se ter de aguentar no hospital durante varias horas e varias posições, por vezes envergonhada…
Quando estava preparada a  desistir e querer voltar á normalidade a sentença chegou….
O médico diz que o acidente apenas chegou para mostrar o que já tinha sem saber….
Quer dizer ainda bem que teve o acidente, ou infelizmente que o teve….
Porque assim ficou a saber o que por vezes ninguém gosta de saber….
Tem o ultimo elo da coluna perto da anca (Bacia) completamente desaparecido…
com isso implica!
Proibição completa de trabalhar na área da saúde, de pegar pesos
Que horror que é o que mais ama na vida é dedicar-se ao próximo….
O pior ainda não chegou, caso assim não faça está sujeita a ficar bloqueada da sinta para baixo…
a segunda sentença depois de um exame nuclear a sentença é de que as articulações ósseas estão a desfazerem-se (Osteoporose)
má sorte ou maldição, é apenas o que reclama seu coração….
Sabe que tem de lutar, que tem de vencer, que tem de se cuidar…
Mas tudo isto não é apenas falar, mas sim sentir novamente o peso da luta.
 Venceu o cancro mas esse malandro deixa marcas e não as mais simples, ele persegue-a faça ela o que fizer….
Ele nunca a vai esquecer…
perguntando o que ela pensa de tudo isto…
diz sorrindo e chorando, sou filha da terra …
da terra nasci, nela cresci e nela me apagarei, mas nunca sem deixar de lutar e de sorrir…
é dolorosos sentir que a vida nos quer fugir, e nós tentamos a seguir…
Um dia me cansarei e apagarei…
Deixando no entanto a mensagem de que a vida é bela devemos aproveitar cada instante
devemos dar prioridades á vida vive-la cada instante cada momento…
e se um dia me for, que fique algo de mim, não preciso de nome nem de homenagens…
Mas do respeito e do carinho de quem tanto acarinhei….

È com estas palavras da pessoa em questão que deixo este poste e um momento de reflexão…

(Pensem com enfrentar e viver a vida)

 

http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2

publicado por Alzira Macedo às 21:42
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 14 de Março de 2008

Telas

 

 

 TELAS…

 

Alzira Macedo

 

Em telas podes cores e motivos observar…

Conseguindo tempos e historias imaginar!!!

Dás asas ao pensamento, e na tela te sentes navegar…

Sensações te fazem despertar.

E não queres desse sonho regressar.

O que irá na mente do pintor quando está a desenhar?

Olhando para a vida,

Tem tons para as cores poderes misturar.

Com o teu pincel que é o destino…

Farás os traços bem alinhados do teu próprio caminho,

Tu és autor e pintor…

 Tanto na tela, como na vida nunca estarás sozinho.

Podes desenhar uma vida florida,

Ou caminho escuro de dúvidas e incertezas…

As emoções e sentimentos fazem,

 Com que as cores nunca sejam as mesmas.

Para começar desenha um sorriso,

Sinal de esperança e renovação.

Ser feliz exige criatividade, esforço e dedicação.

Se não deu certo, tens cor branca passa na tela e recomeça.

A vida é como uma tela, tens de saber desenhar…

 Para nela poderes morar.

Nunca desistir,

Amar, viver, sonhar, acreditar, lutar e até chorar!!!

Não dando certo, te compete tudo recomeçar

Sem os braços baixar.

                     Retirado do livro (Longe da vista, nunca do coração)

                                                               Alzira Macedo

 

 

 

http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2
sinto-me: Nao sei determinar
música: Fatima Ferreira / Adeus á vida

publicado por Alzira Macedo às 09:02
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 76 seguidores

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Recuso-me aceitar

. Senti vossa falta

. A vontade em ser eu...

. Sei que...

. Sinto e quero sentir...

. Não esquecer a pontuação

. Como enfrentar a vida....

. Telas

.Momento de reflexão

Image Hosting

< < <

Myspace Photo Cube

.tags

. todas as tags

.favoritos

. A perfeição...

. As Contradições do Amor

. Quem serei eu

. Alzira Macedo-dueto-Sonho...

. Teu Nome

. Homem do Mar

. Amanhecer

. Somente Tu

. Um pouco sobre mim ...

SAPO Blogs

.subscrever feeds