Sábado, 21 de Janeiro de 2012

Longe de ti minha alma grita

 

 

 

 

 

 

 

 

Preciso de ti
 

 

Quem vai a este mar por mim…
Lhe dar aquele abraço que tanto necessito…
Lhe dizer, o quanto eu sinto saudades, de o ouvir bater contra os rochedos
ao me tentar dizer o quanto eu devo viver sem olhar para trás…
Com tuas ondas enfurecidas, é assim que gosto de te observar
na tua agitação, como se a minha alma fosse …
 Nasce em ti a espuma branca enraivecido,  pela minha quebra de forças
És uma miragem que me encanta mesmo distante de ti
quantas vezes em ti me perdi
quantas lagrimas em ti derramei
e logo apos um sorriso conquistei
pela tua magia, pela tua força que me fez caminhar
e os meus obstáculos enfrentar.

Só tu tens o dom de me dar vida,
 Por isso aqui choro bem longe de ti,
 As saudades que em meu peito moram e não consigo soltar
apenas um grito surdo, um eco que não saí
mundo silencioso que não atinge a minha dor
apenas tu, foste meu conquistador
do despertar, este meu amor por ti…Mar…
Quero-me novamente a ti me entregar
rejuvenescer este meu método de caminhar
sem horizontes
sem minha poesia encontrar
sem rumo ao sorriso
sem conseguir enxergar
ai mar, mar, mar
tanta saudade eu tenho de ti e te abraçar…

 

 

 

 

Alzira Macedo


 

 

sinto-me:
música: Dinis Brites "Amor secreto"

publicado por Alzira Macedo às 11:58
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 13 de Setembro de 2010

Lavei a alma de palavras

 

 

 
 
As amarras de uma paixao
 
 
Naveguei em teu corpo
como o barco navega no mar
teus braços senti como remos
dirigindo-me para o leito do amor
onde me desnudei
e a ti me entreguei
na noite calma ali...
tu e eu
sem pressa,
sem vontade de regressar à  realidade
beijos soaves foram trocados
chamando o desejo
as estrelas testemunharam nossas juras
a lua minhas lagrimas de felicidade
foste minha fonte de inspiraçào
meu amor tornou-se poesia
encantando-me à luz do dia
o vento virou
e de mim te levou
deixando-me um vazio
afoguei na fonte das incertezas
lavando lagrimas de tristeza
apenas restou a recordaçào
de uma paixao
que aprisionou,  unicamente meu coraçào



Alzira Macedo   
sinto-me: Enganada pelo vento

publicado por Alzira Macedo às 12:34
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Segunda-feira, 17 de Maio de 2010

Particulas de um ser...

 

 

 

 

Viajei em mim

 


Na ausência do teu olhar,
captei, o que me vai na mente
necessito de me reconstruir
para melhor de ti usufruir
Sou caçadora de momentos vividos
Num suspiro encontro minha luz
respiro fundo
a ideia me seduz
deixo de ser cidade velha
reconstruindo um novo eu
com mais sorriso
mais força
mais cor
num pequeno percalço
deixei partir entre os dedos
os meus ideais
os meus sonhos
agarrei-me ás imagens do passado
deixando lancetar
tudo quanto me faz vibrar
Mesmo olhando o mar
 nada me dizia
nada sentia
entrei no caminho do abismo
onde a tristeza superou
aniquilou todo outro sentimento
olhei o espelho do presente
não gostei do que vi
ruínas de mim
olhei o horizonte
senti vontade de o conquistar
é nesse rumo que irei caminhar…

sinto-me: Viajando
música: Estrelas no ceu...

publicado por Alzira Macedo às 22:14
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Segunda-feira, 1 de Fevereiro de 2010

Perdida andei...

 

 

 

 Naufraguei a alma

naufraguei
numa tempestade de emoções
num turbilhão de dores multiplicas
remei contra tempo
contra marés
contra tudo e todos
cansada de batalhar
deixei-me afundar
no abismo
da desilusão
da tristeza
do desespero
no descontentamento
senti-me engolir o fel
do abandono
do engano
submersa de desilusão
parti com vontade de não regressar
Fui recolhida pela lua
que me ouviu emocionada
as estrelas, iluminaram meu caminho de regresso
O sol aqueceu minha alma
O mar, rejeitou-me á vida
o vento me empurrou até aqui
A natureza
 se encarrega de me fazer caminhar
passo a passo
A semente começa a brotar dentro de mim
a chuva irá me regar dia após dia
a vossa amizade, vai me fazer acreditar em mim,
na vida
no futuro que o destino de mim escondeu
A poesia é
 minha melhor amiga, conselheira
O futuro é incógnito
daí começar a dançar lentamente
e viver este presente

 

Alzira Macedo

 

 

 

sinto-me: Não sei como ainda
música: noites traiçoeiras

publicado por Alzira Macedo às 22:15
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Segunda-feira, 7 de Dezembro de 2009

Refugiar....

 

 

 

Refugio-me no pensamento…

 

Queria ser azul do mar,
para minhas lágrimas não notar
porque teimo eu em chorar…
Naufragada na tempestade do desespero
Um amanhecer, um despertar
sem ter onde me agarrar
Perdida dentro de mim, sem me encontrar
Nem destino onde possa remar
Já chorei sem querer
sem notar, sem saber
em ti…
desaguei, todo meu desespero
toda minha alma
entro e moro em ti
 em cada segundo, em cada momento
Envolvida pelo sentimento
deixei-me empurrar pelo vento
Naveguei
encontrei dentro de ti meu lugar
Não preciso mais nada
Meus olhos embriagados de paixão
Pelo meu mar
Não quero regressar
humm…
doce sensação
de não pertencer a ninguém
envolvida pelo sonho da liberdade,
 passeando de maré em maré
beijando a lua, com meus pensamentos
de pés nus pisando a areia
envolvida de mistério,
 desnudada corro com o vento
meu corpo é teu alento
mera ilusão…
acordo e a triste realidade se instala
Quem sou, onde pertenço
Aqui…
Nesta terra sem magia sem deslumbramento…

Vivo feliz, nos meus sonhos
refugiando-me no pensamento
 

 

 

Alzira Macedo

 

 

sinto-me: vontade de naufragar
música: Ladrão enamorado

publicado por Alzira Macedo às 11:25
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Quinta-feira, 26 de Novembro de 2009

Eu e a Vida...

 

 



Quando penso sobre a vida…

Que é linda maravilhosa (eu que vos diga)
Já passei pelas ruas da amargura…

Por um sopro, não deixei de viver…
Encontrei-me no túnel entre a morte e a vida sei do que falo…
Um dia talvez com mais tempo com outra forma de escrita será revelada a força interior de um ser humano, que quer viver uma vida que até então era natural…
Porque toda a gente vive porque não eu?

Hoje, vivo essa vida intensamente, porque é bela, descobri os valores dela…
Não é na mesquinhice, nas invejas, nas rivalidades que encontras o verdadeiro sentido da vida…
Mas sim nos teus proprios valores…

Inicialmente porque te foram incutidos ao teu nascer…
Uma aprendizagem, uma educação que achavam ser a melhor…
Depois o teu desenvolvimento intelectual, emocional…
A tua verdadeira identidade que se revela aos poucos…
E porque nossa sociedade é doente de preconceitos, escondeste não te revelas por medo, para não seres julgada (o), mal amada (o), mal compreendida (o)…

Tudo isso são carências que transportas dia após dia…
Entras e sais de vidas como um fantasma que não vive plenamente…
Que não se realiza como ser humano, essas dificuldades transportas contigo…
Por muito que não queiras transportas esses valores que não são teus, e incutes sucessivamente de geração em geração…

Até ao dia em que acordas de um coma e dizes para contigo própria (o)…
È este o meu sentido de vida…
Foi para isto que nasci?

Não…

Eu sou diferente, eu noto em mim algo que brota bem mais profundo…
Então se me foi dado uma segunda oportunidade de vida, porque não a viver como eu pretendo, como eu gosto, como eu quero…
Quem me impede?

As amarras do passado!!!
Ou a nossa sociedade que não está preparada para aceitar cada forma de vivencia, cada pensar diferente, cada sonho, cada ilusão, cada caída e cada levantar….
Não é por ser diferente, ou pensar diferente que serei leviana (o)

Mas sim EU…

Todos nós somos diferente e iguais…
Porque procuramos viver uma vida nossa e sem darmos conta, vivemos a vida dos outros…
Porque motivo?

Por não ter a coragem de assumir a nossa própria identidade!
Hoje sou uma pessoa diferente, vivo uma vida igual a muitas, mas vivo-a ao meu som…
Nas minhas angustias, nas minhas buscas, nos meus desejos, nos meus sonhos, nas minhas conquistas…

Há tanto para viver, não me vou deixar importar numa vida que não é a minha.
Num desejo que não é o meu, num sonho que não idealizei…
Numa conquista que não quero…
Hoje senti necessidade de deixar falar a minha alma…
Expressar minha forma de pensar, de sentir e de escrever…
Não sigo os passos de ninguém, não quero que sigam os meus…
Apenas que guardem o que acham que devem guardar, assim como guardo o que partilham comigo e aprendo com isso…

Com isto quero agradecer a Deus por este meu percurso, por este meu caminhar, por esta minha segunda oportunidade de viver…
Independentemente de religiões e crenças…
Sabem que não sou pessoa de falar sobre Deus até porque cada qual é livre de pensar da forma que quer…
Mas senti essa necessidade de desabafar…

Deus existe na vida de cada um á sua maneira, na sua intimidade…
Ou sente-se ou não se sente…
È de cada um…
Sou o que sou, mas sei que ainda tenho muito para alcançar.
Amo as pessoas, amo a vida com mais ou menos dificuldades porque elas existem em cada ser.

Parei no tempo da reflexão…

E continuo,  na escrita para mostrar o meu amor pela vida…

Ainda hoje me senti livre, me senti bem com o mundo…
encontrei-me num local lindo digno de reflexão…
No alto de uma colina observando o mar…
Eu e a natureza, eu e o mundo.

Eu e o meu mundo.

Esse mar que me transportava a raiva dos incompreendidos, dos sem coerência, dos sem respeito pela vida do próximo…
Foi um momento maravilhoso, onde pôde respirar bem fundo esta minha alegria de viver…
Hoje é mais um dia em que agradeço a minha presença neste mundo…
È lindo é saudável é de se louvar…
cada minuto, cada partilha, cada emoção, cada lágrima, cada alegria…
Ninguém pode impedir a felicidade do outro
Ninguém pode julgar a vida de cada um…
Mas sim todos nós temos o direito de viver á nossa maneira…

O tempo que nos é dado é desconhecido…

Então vivam, amem, sorriem, conquistem.
Amanha não sabemos o que nos espera…
Filosofia ou arte de viver, não sei…
Sei apenas que é assim que eu sinto a vida.

E tu?..

 

 

 

 Alzira Macedo

sinto-me: feliz por viver
música: qui m´enpeche de vivre

publicado por Alzira Macedo às 21:16
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Sexta-feira, 20 de Novembro de 2009

Quem me irá entender !!!

 

 

 

 

 

Mistério irresistível

 

Numa bela manha,
 O mar estava enraivecido…
Pela minha dor, pela tua falta.
 Passeei, com olhos no horizonte
Enquanto te esperava!
a chuva ia caindo lentamente,
em meu rosto,
sorri ao vento,
lágrimas ou chuva estavam a correr
me perguntei que faço aqui?
porque não,
esperar por ti…
Te aproximas-te lentamente,
com olhos baixos, sorriso maroto
fomos ao encontro um do outro
Esse desejo não iria passar
sem o experimentar…
Mistério envolve magia
desconhecimento total do que nos espera
nossos olhares, iam sendo mais demorados
num jogo sem sedução
ficamos presos ao momento
sem explicação…
Os sorrisos e boa disposição foi uma constante…
quanto mistério estará escondido
o que me dizes e mostras
é mesmo o que és…
E eu…
Serei tão segura de mim
não haverá sedução
mesmo na imaginação…
Mistério…
Culto e secreto
Esse que fica no ar…
Quem o irá entender?
Quem se irá envolver…
Na busca, no desejo, na entrega
na paixão…No mistério…
 ou coisas do coração…
ou uma mera alucinação…

 

 

 

 

Alzira Macedo

 

sinto-me: Misteriosa ou não
música: Vem me abraçar...

publicado por Alzira Macedo às 17:03
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Terça-feira, 13 de Outubro de 2009

Palavras ao Vento

 

 

 

Saí do trabalho um pouco mais cedo do que o costume…
Estava ansiosa por sair respirar o ar livre,
Pois tinha estado fechada durante 12h no turno da noite…
O dia nascia e comigo a vontade de caminhar á beira mar…
Mas ainda fui tomar o café com as colegas de serviço
deu tempo suficiente, para ter umas conversas simpaticas e umas boa rizadas…
A brisa da manha fazia com que meus cabelos voassem,  de um lado para o outro.
Peguei no meu carro e desci a avenida direcção ao mar…
tava lindo e implacavel…
Sempre dominador do tempo e do momento…
Algumas pessoas já faziam caminhadas…
Eu solitaria, sorri e coloquei os auriculares para ouvir musica…
comecei a caminhar respirando o bom ar para os pulmoes,
contagiada pela dança do mar fui marchando
fui olhando a meu redor,  vi uma jovem sentada á beira mar
e fui pensando…


Palavras ao Vento… 

 

Era uma garota, que como eu…
acreditava na vida plenamente…
traçava seu destino pelo instinto…
rezava pelo dia do amanhã…

 

E…

 

Como tantos, entre deveres e obrigações, ainda…
sonhava por um mundo melhor…
engoli as lágrimas das horas difíceis…

 

Mas…

 

A vida não para e ela continua…
a lutar por um mundo digno…
na batalha, ia conversar com o mar
sobrevivendo e desejando tudo ultrapassar

 

E…

 

continuei marchando
De sorriso nos labios
com vontade de ao mar me entregar
podendo novos mundos conquistar
Sei que tenho de ficar
pois só foram pensamentos ao vento
Prometo lá voltar
para mais jovialidade respirar…

 

Mesmo…

 

Sendo Devaneios
Já alguem assim dizia…


Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena…

 

 

 

Alzira Macedo

 

 

 

sinto-me: A Devanear
música: um coração sozinho

publicado por Alzira Macedo às 18:52
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sábado, 3 de Maio de 2008

"Meu ar"

Nao questumo escrever dois postes no mesmo dia...
Mas hoje é excepção á regra....
Sinto-me nostalgica, pensativa e com estes sentimentos fui escrevendo o que me vinha á mente... decidi colocar o meu novo poema escrito á minutos aqui....

 

Meu ar….

Não é imaginação, é mais do que emoção
abro a boca e sinto-te em meu respirar
tento me explicar, que é imaginação
sinto o bater aflito do meu coração
que me diz não é não…
olho para o mar, para me afogar
mas encontro-te nas ondas da solidão
o vento me leva perto de ti a chorar
estando longe fico sem ar
meu ar meu chão és tu
sem ti não consigo respirar
a minha alma fica incontrolável
por te querer e não seres palpável
na fria madrugada contigo no pensamento
me entrego ao vento
Abro meu corpo ao relento
esqueço-me do meu orgulho e vou te amar
 quero te abraçar, preciso de ti ar
como o céu das estrelas, como a terra do sol
como os navegantes do farol
sem ti sou sofrimento
sou soluço sem nascer, sem viver
permaneço no triste anoitecer
Nos teus braços é meu lugar
quero-te ar..

sinto-me: pensativa
música: tento saber / Nuno guerreira

publicado por Alzira Macedo às 10:43
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 76 seguidores

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Longe de ti minha alma gr...

. Lavei a alma de palavras

. Particulas de um ser...

. Perdida andei...

. Refugiar....

. Eu e a Vida...

. Quem me irá entender !!!

. Palavras ao Vento

. "Meu ar"

.tags

. todas as tags

.favoritos

. A perfeição...

. As Contradições do Amor

. Quem serei eu

. Alzira Macedo-dueto-Sonho...

. Teu Nome

. Homem do Mar

. Amanhecer

. Somente Tu

. Um pouco sobre mim ...

SAPO Blogs

.subscrever feeds