Sexta-feira, 4 de Outubro de 2013

Imaginação poderosa.




No fim tu verás que as coisas mais leves, são as únicas que o vento não conseguirá levar:
 Um carinho no momento preciso, o folhear de um livro de poemas, o cheiro que tinha um dia o próprio vento...
E a minha visão de ti
do teu toque
o teu cheiro
o teu abraçar
pode vir um vendaval
que jamais levará a minha imaginação...



Alzira Macedo


publicado por Alzira Macedo às 14:55
link do post | comentar | favorito
Sábado, 3 de Dezembro de 2011

Senti vossa falta

Quantas vezes, escrevi no... 
Passado, no Presente e até vivendo o Futuro
quantas vezes prometi vir para ficar e nada disso aconteceu…
Temos sempre tantos projectos em mente 
Que nos descuidamos dos que anteriormente nos deram tantas alegrias…
Serão fatalidades ou futilidades?
Quero pensar que seja fatalidade
até porque não me sinto bem com o nome de futilidade…
Quantas vezes me lembrei de cá vir e sempre dizia, amanha
até que esse, amanha chegou e cá estou…
Reconheço desperdiçar momentos de vida, 
Momentos de amizade dando lugar a outra prioridade
um belo dia acordamos e sentimos que algo nos reclama
que algo está a ser esquecido
que algo nos falta
então rebobinamos o nosso passado e dizemos…
Tenho de voltar onde sempre fui feliz….
Voltei ás minhas raízes
que é escrever, dizer bem alto o que me vai na mente
ser eu própria com defeitos e virtudes
com lagrimas e sorrisos
até porque estiveram sempre em minha companhia 
e eu de nada sabia
por não entrar na casa certa
a minha a vossa
e acima de tudo a nossa
este cantinho maravilhoso,da partilha da voz da alma
vim para ficar e poder novamente convosco minhas mais intimas ideias partilhar….

 



 

 

 

 

 


publicado por Alzira Macedo às 02:39
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Terça-feira, 8 de Junho de 2010

A vontade em ser eu...

 

 

 

Recordo todo o meu passado…


Hoje…
Sou o que nunca imaginei ser
No meu futuro…
 Irei de mim rir…
Hoje…
 que a noite é somente minha
que a chuva cai sem me molhar
que minhas lágrimas lavam meu rosto
até deixo que isso aconteça
Necessito desta paz
desta solidão
deste desaguar de recordações
quero sentir o que sou sem me esconder
sem ter de negar minha tristeza
a noite é minha
os sentimentos também
saborear a pura certeza de que sou eu e mais ninguém
Enquanto tudo dorme
Eu vivo
eu penso
eu sinto
eu escrevo
revejo todo o meu passado
incognitamente
desfolhei-me
pouco a pouco renasce um novo eu
com duvidas e incertezas quero crescer
quero desenvolver o meu próprio ser
como pagina já nascida, mas nunca vivida
do tempo que me deram
e que nunca desfrutei
chamo a atenção sobre mim
que nunca conheci
salvo uma vontade
de ser eu
sem principio nem fim
segui em dois caminhos par a par
ser o que quiseram que eu fosse
sem nunca sequer me encontrar
chegada á meia meta
sem mesmo me conhecer e
com a certeza de te pertencer
serei eu de certeza
ou apenas um irreal meu
que apenas vivi para o teu mundo
 e nunca o meu
continuo sem me encontrar
agarrada a ti em meu pensar
Alzira Macedo




sinto-me: A descobrir-me
música: si fuel el amor

publicado por Alzira Macedo às 00:21
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Sábado, 16 de Janeiro de 2010

Palavra...

 

 

 

Palavras tornaram-se silencio

Quantas delas são ditas ao vento
recolhidas no relento
de uma ilusão
quantas palavras são prenunciadas para nada dizer
são ditas embrulhadas de belos sorrisos
deixando um sabor amargo
pelo destroçamento do acontecimento
quantas palavras me disseste e eu acreditei…
Hoje já não sei
essas palavras que não preenchem o vazio
 que se transformou dentro de mim
Não vou mais ouvir
palavras sem nexo,
sem coerência
embrulhas minha existência
com dúvidas
e mais duvidas…
palavras para quê
se na explicação,
 misturas palavra por palavra
sem verdadeira razão
um pedaço de mim se esvoaçou
quando nas tuas palavras desacreditou
o mundo desabou
pelo que quis ouvir
agora me resta apenas, palavras soltas
sem sentido
sem futuro
sem verdade

 

 

 

Alzira Macedo

 

 

 

sinto-me: Sem palavras
música: A Musica

publicado por Alzira Macedo às 23:23
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Terça-feira, 12 de Janeiro de 2010

holograma meu...

 

 

 

 

Sei quem e o que és…

 

 

Nem de longe, nem de perto
duvidei quem eras…
um dia pousaste em minha janela
encantaste-me com teu cantar
com tua forma de estar
Protegido ou não pela luz do dia
vieste para ficar
e disso nunca irei abdicar
Vivo?
Vives em meu ser
nas minhas noites, mais tristes
nas minhas madrugadas mais solitárias
reflectido em cada olhar
em cada pensamento e em cada sonhar
És amante, amigo
cantando lindos versos de embalar
holograma…
sem ser…
posso te sentir, te ver
talvez nunca te pertencer
fazes parte deste meu viver
num espaço de dois mundos
diferentes, e tão iguais…
Desvaneces?
Não creio
Teu sorriso, tuas palavras
ficam marcadas para a eternidade
O amor sem realização
Mas constante em nosso coração
Ilusão…
de quem?
 de ti de mim…
Não…
Vive eternamente nesta minha imensidão
Nesta minha arvore que floresce em cada manha
sem nada pedir…
sem nada exigir
Nada apagarei
nem mulher, nem amiga,
nem sonho, nem conquista
Nesta tela pintada por nós
ficará mais bela com cada cor
de cada sorriso, de cada lágrima,
de cada dor,
nesta busca de entender a realidade
A luz da esperança nasceu
dizendo…
 Escolheste a melhor oportunidade que a vida te deu

 

 

 

 

 

Alzira Macedo

 

 

 

 

sinto-me: A luz da esperança

publicado por Alzira Macedo às 22:56
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Sábado, 7 de Novembro de 2009

O que vou fazer!!!

 

 

 

Estou demasiada eufórica, ou diria nostálgica…
Não consigo diferenciar…
È uma mistura de alegria e tristeza…
Onde a solidão me empurra para a escrita…
Sou assim, sinto-me realizada, quando  escrevo o que a alma me dita…
Quem me conhece já sabe como sou…
Imprevisível…
Feliz, e descontente…
Me irão dizer:  Estás  a contrariar-te…
È verdade sem ser…
Sou assim que poderei  eu fazer?
Nada!!!
Apenas ser o que sou…
Então se me dão licença vou continuar…
Onde estava que já me perdi…
Ah, na tristeza que já passou, na alegria porque posso partilhar e com vós contar…
Não é fixe isso….
È exemplar, é divinal…
Em que segundos conseguimos mudar nosso estado de alma…
querem saber porquê?
Então passo a explicar….
Só somos tristes, porque nada nem ninguém nos ouve, ou porque caímos no abismo…
somos felizes, porque algo ou alguém nos transmite energia, felicidade, jovialidade…
seja o motivo que for, seja da forma que for, não existem regras…
apenas venham elas, estou como o (Jardim, ou seria, o Valentim loureiro, quantos são venham eles ahahahah)
nada disso, nem ligo á politica sequer…
Mentirosa, ligo sim, mas não vou na onde deles…
Mas continuando… Estranhamente queixo-me sempre do exagero de trabalho.
Agora que consegui ter um dia livre… Imaginem só um dia de folga não sei o que fazer com esse tempo…
Dormir, é desperdiçar tempo, Então me digam que faço?

Ir para o Shoping, (Centros comerciais)?

Naaaa, não é minha onda…
Já sei vou ao ginásio, afinal temos que fazer algo saudável para o corpo já que a mente não tem remédio…

Mais esforço físico se já ando tão cansada???
hummmm, mas pensar que vou passar o dia de folga a fazer limpezas, não me comove…
Raios que vou eu fazer do meu tempo livre…
Amor, onde andas, agora precisava de ti!!!
Ok percebi, o amor não é apenas para horas vagas…
Então como vou preencher este tempo livre?
Hummmm…
Escrever?
Já o faço e não preciso de folga, porque isso é o alimento do meu dia a dia…
Se me proibissem agora de escrever acho que me dava uma paragem cardíaca
já não posso viver sem isto….
Então vou continuar a pensar…
Estou tramada, nada mais me ocorre…
Como somos pequenos na nossa imaginação…
Algo que nos falhe na vida e já não sabemos imaginar nada mais para ocupar esse lugar…
Primitivo mesmo, não concordam?
Ah eu superei…
Vou ao cabeleireiro que me esqueci que tinha marcado para quinta feira…
Passou o dia, eu bem notei que algo estava estranho em mim, mas não sabia o quê…
E depois???
Logo algo me vai ocorrer para fazer….
Que pasmaceira esta vida tão, controladinha, que se algo falhar,  já não sabemos como ocupar…
Ok prometo que depois de postar irei pensar no assunto, mas neste momento nada me ocorre…
Bora lá amigos…
Ajudem esta pobre que só sabe trabalhar, em saber saborear a vida…
Deixem dicas, conselhos, vamos lá ajudar, não fiquem parados senão morro de paralisia por nada fazer ahahahhah…

Rio sim, mas espero noticias vossas

 

 

 

Alzira Macedo

sinto-me: nostalgica, bricalhona dicide
música: Deutsche hit parade

publicado por Alzira Macedo às 01:16
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
Terça-feira, 13 de Outubro de 2009

Palavras ao Vento

 

 

 

Saí do trabalho um pouco mais cedo do que o costume…
Estava ansiosa por sair respirar o ar livre,
Pois tinha estado fechada durante 12h no turno da noite…
O dia nascia e comigo a vontade de caminhar á beira mar…
Mas ainda fui tomar o café com as colegas de serviço
deu tempo suficiente, para ter umas conversas simpaticas e umas boa rizadas…
A brisa da manha fazia com que meus cabelos voassem,  de um lado para o outro.
Peguei no meu carro e desci a avenida direcção ao mar…
tava lindo e implacavel…
Sempre dominador do tempo e do momento…
Algumas pessoas já faziam caminhadas…
Eu solitaria, sorri e coloquei os auriculares para ouvir musica…
comecei a caminhar respirando o bom ar para os pulmoes,
contagiada pela dança do mar fui marchando
fui olhando a meu redor,  vi uma jovem sentada á beira mar
e fui pensando…


Palavras ao Vento… 

 

Era uma garota, que como eu…
acreditava na vida plenamente…
traçava seu destino pelo instinto…
rezava pelo dia do amanhã…

 

E…

 

Como tantos, entre deveres e obrigações, ainda…
sonhava por um mundo melhor…
engoli as lágrimas das horas difíceis…

 

Mas…

 

A vida não para e ela continua…
a lutar por um mundo digno…
na batalha, ia conversar com o mar
sobrevivendo e desejando tudo ultrapassar

 

E…

 

continuei marchando
De sorriso nos labios
com vontade de ao mar me entregar
podendo novos mundos conquistar
Sei que tenho de ficar
pois só foram pensamentos ao vento
Prometo lá voltar
para mais jovialidade respirar…

 

Mesmo…

 

Sendo Devaneios
Já alguem assim dizia…


Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena…

 

 

 

Alzira Macedo

 

 

 

sinto-me: A Devanear
música: um coração sozinho

publicado por Alzira Macedo às 18:52
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 76 seguidores

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Imaginação poderosa.

. Senti vossa falta

. A vontade em ser eu...

. Palavra...

. holograma meu...

. O que vou fazer!!!

. Palavras ao Vento

.tags

. todas as tags

.favoritos

. A perfeição...

. As Contradições do Amor

. Quem serei eu

. Alzira Macedo-dueto-Sonho...

. Teu Nome

. Homem do Mar

. Amanhecer

. Somente Tu

. Um pouco sobre mim ...

SAPO Blogs

.subscrever feeds